Paulo Freire versus BNCC: perspectivas antagônicas de currí­culo

Autores

  • Valter Martins Giovedi Universidade Federal do Espí­rito Santo
  • Itamar Mendes Silva Universidade Federal do Espí­rito Santo

Resumo

Este artigo tem como objetivo evidenciar o antagonismo existente entre as concepções curriculares de Paulo Freire e da BNCC. Para tanto, realiza uma análise documental, ressaltando aspectos da concepção de currí­culo das duas perspectivas: as justificativas, os objetivos, os eixos articuladores do conhecimento, o processo de seleção dos conteúdos escolares e o papel do professor. Demonstra-se que, mais do que concepções diferentes, são perspectivas contraditórias e até antagônicas em vários aspectos. Conclui-se que a obrigatoriedade de observância da BNCC tem como consequência inevitável a exclusão da perspectiva freireana da Educação Básica, negando, assim, as contribuições daquele que é reconhecido mundialmente como um dos maiores educadores de todos os tempos. Palavras-chave: Paulo Freire. BNCC. Currí­culo. Antagonismo.

Biografia do Autor

Valter Martins Giovedi, Universidade Federal do Espí­rito Santo

Professor do Centro de Educação da Universidade Federal do Espí­rito Santo (UFES), lotado no Departamento de Educação, Polí­tica e Sociedade (DEPS).

Itamar Mendes Silva, Universidade Federal do Espí­rito Santo

Professor do Centro de Educação da Universidade Federal do Espí­rito Santo, lotado no Departamento de Teorias e Práticas Educativas (DTEPE).

Downloads

Publicado

30-06-2021

Como Citar

Giovedi, V. M., & Silva, I. M. (2021). Paulo Freire versus BNCC: perspectivas antagônicas de currí­culo. Revista Educação E Cultura Contemporânea, 18(55), 293–316. Recuperado de https://mestradoedoutoradoestacio.periodicoscientificos.com.br/index.php/reeduc/article/view/9813

Edição

Seção

Artigos