Prisões simbólicas das adolescentes no sistema socioeducativo: uma realidade que a escola se recusa a ver

Autores

  • Elen Alves dos Santos Universidade de Brasí­lia
  • Viviane Neves Legnani Universidade de Brasí­lia
  • Lúcia Helena Cavasin Zabotto Pulino Universidade de Brasí­lia

Resumo

Este artigo apresenta concepções do que é ser mulher para adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa. Visa problematizar como essas concepções, sem uma orientação crí­tica, que poderia ser construí­da na escola e no âmbito socioeducativo, tornam-se fatores de risco para a conduta infracional das adolescentes, antes e após o cumprimento da medida socioeducativa. A pesquisa se utilizou do método qualitativo. Os resultados evidenciaram que as adolescentes tentam um afastamento do padrão de mulheres submissas aos homens na conduta infracional. Essa conduta teve como fator motivador a obtenção de bens de consumo, para manutenção de um padrão de ideal estético. Os dados apontaram ângulos de análise diferentes do que indica a literatura especializada sobre o tema, ou seja, sobre as questões de gênero na adolescência. Aspectos esses que podem ser úteis para os sistemas escolar e socioeducativo repensarem seu papel junto a essas adolescentes. Palavras-chave: Adolescentes. Violência. Gênero. Direitos humanos.

Biografia do Autor

Elen Alves dos Santos, Universidade de Brasí­lia

Doutoranda em Psicologia pela Universidade de Brasí­lia ( 2017). Mestre em Educação pela Universidade de Brasí­lia( 2016). Especialista em Psicopedagogia Clí­nica e Institucional ( 2012). Especialista em Problemas do Desenvolvimento na Infância e Adolescência em uma abordagem interdisciplinar, pelo Centro de Estudos Lydia Coriat de Porto Alegre. Psicóloga pela Universidade Católica de Brasí­lia (2009). Atuação em Psicologia Clí­nica e Escolar. Docente no Ensino Superior.

Viviane Neves Legnani, Universidade de Brasí­lia

Psicanalista. Mestre e Doutora em Psicologia pela Universidade de Brasí­lia. Pós-Doutorado pela Universidade Católica de Brasí­lia. Docente na Faculdade de Educação da Universidade de Brasí­lia. Brasí­lia - DF. Brasil.

Lúcia Helena Cavasin Zabotto Pulino, Universidade de Brasí­lia

Psicóloga (USP), Doutora em Filosofia (UNICAMP) Pós- doutorado (Université PARIS 8. Professora Adjunta no Instituto de Psicologia da Universidade de Brasí­lia Campus Universitário Darcy Ribeiro - ICC SUL, Instituto de Psicologia, Pós-Graduação (PGPDS) Departamento de Psicologia Escolar - PED Brasí­lia - DF, Brasil.

Downloads

Publicado

27-04-2020

Como Citar

Santos, E. A. dos, Legnani, V. N., & Pulino, L. H. C. Z. (2020). Prisões simbólicas das adolescentes no sistema socioeducativo: uma realidade que a escola se recusa a ver. Revista Educação E Cultura Contemporânea, 18(53), 122–140. Recuperado de https://mestradoedoutoradoestacio.periodicoscientificos.com.br/index.php/reeduc/article/view/7090

Edição

Seção

Seção temática