A Escola buscando ser democrática: tensionamentos e criações no contexto da prática

Autores

  • Luciano Carlos Mendes de Freitas Filho Instituto Federal da Bahia

Resumo

O presente artigo apresenta algumas das problematizações provenientes do meu doutoramento em Educação. Ele busca traçar grifos a algumas reflexões teóricas empreendidas na tese, tendo um enfoque sobre a categoria "escola democrática" enquanto um significante vazio, imerso em tramas polí­ticas impulsionadas por disputas de múltiplos grupos sociais pela universalização de sentidos desse significante. Tais pressupostos teóricos reiteram a lente da discursividade enquanto chave de leitura para evidenciar uma aposta de que não há como compreender que dado sentido de escola democrática -pensado para contextos da prática/de práticas curriculares distintas, em recortes de tempo diferentes- pode ser, de forma essencializada, universalizado e prescrito para toda e qualquer escola, para todo e qualquer contexto de espaço-tempo. Imersa à instabilidade de um talvez, a escola vivencia a democracia na busca pela definição de escola democrática, ela vai tornando-se democrática na tentativa por ser democrática, em meios aos contí­nuos tensionamentos por parte de diversos agentes produtores da polí­tica (externos e internos a ela). Palavras-chaves: Discursividade. Escola democrática. Hegemonização im-possí­vel. Porvir.

Biografia do Autor

Luciano Carlos Mendes de Freitas Filho, Instituto Federal da Bahia

Atua na área da Educação/Pesquisa em Educação e de Ensino de Lí­ngua Inglesa , com ênfase em Educação em Direitos Humanos, currí­culo, polí­ticas educacionais e formação de professores. Professor de Lí­ngua Inglesa do Instituto Federal da Bahia/IFBA. Graduado em Letras pela Universidade Federal de Pernambuco. Mestre em Educação pela Universidade Federal de Pernambuco/UFPE e Doutor em Educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro/UFRJ. Realizou estágio doutoral na Katholieke Universiteit Leuven/Bélgica-2019, sob supervisão do professor Jan Masschelein. Professor substituto de Lí­ngua Inglesa, no Departamento de Letras da Universidade Federal de Pernambuco/UFPE, 2007-2009, e Professor Substituto do Centro de Educação da UFPE/CE, 2015 a 2017. Tem experiência com Ensino a distância/EAD ( professor conteudista e formador), bem como dispõe de experiência em formação de professores da educação básica ( de 2009 a 2017) e revisão/elaboração de materiais didático-pedagógicos para a educação básica ( com ênfase na educação em direitos humanos) e gestão educacional.

Downloads

Publicado

17-11-2022

Como Citar

Freitas Filho, L. C. M. de. (2022). A Escola buscando ser democrática: tensionamentos e criações no contexto da prática. Revista Educação E Cultura Contemporânea, 19(60), 47–67. Recuperado de https://mestradoedoutoradoestacio.periodicoscientificos.com.br/index.php/reeduc/article/view/10352

Edição

Seção

Artigos