Narração na audiodescrição por pessoas com deficiência visual: expandindo o campo profissional

Autores

  • Thiago de Lima Torreão Cerejeira Universidade Federal do Rio Grande do Norte/Doutorando em Educação
  • Jefferson Fernandes Alves Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)

Resumo

A audiodescrição enquanto recurso de acessibilidade comunicacional e cultural opera como uma modalidade de tradução intersemiótica, transformando os contextos visuais captados pelo olhar em enunciados verbais e possibilitando que pessoas com deficiência visual possam ter um melhor entendimento e compreensão. O recurso também vem configurando-se como um campo de trabalho e atuação profissional para esse público por meio da figura do audiodescritor consultor, profissional com deficiência visual que necessariamente deve integrar a equipe que concebe a audiodescrição. Esse estudo, por sua vez, assume como abordagem metodológica a pesquisa intervenção (JOBIM E SOUZA; ALBUQUERQUE, 2012), apoiando-se, teoricamente, na compreensão dialógica da autoria (BAKTHIN, 2017), na dimensão poética da voz (ZUMTHOR, 2007) e na perspectiva estética da audiodescrição, a partir da contação de histórias (BUSATTO, 2013). Em vista disso, considerando o potente panorama que se apresenta, a abordagem desse estudo centra-se na possibilidade de atuação para a pessoa com deficiência visual com a narração gravada na audiodescrição a partir de algumas experiências desenvolvidas que se mostraram férteis e abrem caminho para esse espaço de atuação profissional ainda pouco explorado, amplo de oportunidades e que suscita um novo olhar para uma educação estética a partir do ponto de vista do descentramento da primazia do visuocentrismo. Palavras-chave: Acessibilidade comunicacional e cultural. Audiodescrição gravada. Educação estética. Narração na Audiodescrição. Pessoa com deficiência visual.

Biografia do Autor

Thiago de Lima Torreão Cerejeira, Universidade Federal do Rio Grande do Norte/Doutorando em Educação

Audiodescritor consultor e pesquisador na área da acessibilidade comunicacional e cultural, com ênfase na interface arte e deficiência visual. Doutorando e Mestre em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), com pós-graduação em Aperfeiçoamento em Audiodescrição na Escola pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Especialista em Educação Inclusiva pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN), em Mí­dias na Educação pela Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN) e em Artes Visuais pelo SENAC. Membro da Comissão Permanente de Inclusão e Acessibilidade do Centro de Educação da UFRN.

Jefferson Fernandes Alves, Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (1991), mestrado em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (1997) e doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2004). Professor Associado do Departamento de Práticas Educativas e Currí­culo, do Centro de Educação/UFRN. É membro dos Programas de Pós-Graduação em Educação, Pós-Graduação em Educação Especial e Pós-Graduação em Artes Cênicas da UFRN. Orienta e pesquisa na interface Arte, Deficiência e Acessibilidade, com ênfase na relação Teatro e Deficiência Visual.

Downloads

Publicado

18-06-2022

Como Citar

Cerejeira, T. de L. T., & Alves, J. F. (2022). Narração na audiodescrição por pessoas com deficiência visual: expandindo o campo profissional. Revista Educação E Cultura Contemporânea, 19(59), 114–129. Recuperado de https://mestradoedoutoradoestacio.periodicoscientificos.com.br/index.php/reeduc/article/view/9959

Edição

Seção

Artigos