O potencial da pedagogia waldorf para a educação ambiental em uma perspectiva ecocêntrica

Autores

  • Helen Abdom Gomes Universidade Federal do Paraná
  • Valéria Ghisloti Iared Universidade Federal do Paraná

Resumo

O presente estudo investigou as potencialidades da pedagogia waldorf para a educação ambiental em uma perspectiva ecocêntrica. Por meio da etnografia sensorial, testemunhou-se a experiência estética na infância e na relação do ser~estar no mundo. Foram analisadas as respostas afetivas de 21 crianças com idades entre 4 a 6 anos em um jardim waldorf. Os resultados apontaram três aspectos que contribuem para a educação ambiental: afetividade, corpo e movimento e potencial imaginativo dos seres vivos e não vivos. A necessidade de uma proposta pedagógica que privilegie a relação com a natureza pode inspirar as práticas de educação ambiental pautada em princí­pios ecocêntricos. Palavras-chave: Educação infantil. Natureza. Afetividade. Rudolf Steiner. Ecofenomenologia.

Biografia do Autor

Helen Abdom Gomes, Universidade Federal do Paraná

Graduada em Ciências Naturais com habilitação em biologia pela Universidade do Estado do Pará e Mestre em Educação pela Universidade Federal do Paraná.

Valéria Ghisloti Iared, Universidade Federal do Paraná

Graduada em licenciatura e bacharelado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de São Carlos (2006). Especialista em Educação Ambiental pelo Centro de Recursos Hí­dricos e Ecologia Aplicada da Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo (CRHEA/ EESC/ USP). Mestra em Ecologia e Recursos Naturais pela UFSCar (2010) Doutora em Ciências pela Universidade Federal de São Carlos (2015).

Downloads

Publicado

23-04-2021

Como Citar

Gomes, H. A., & Iared, V. G. (2021). O potencial da pedagogia waldorf para a educação ambiental em uma perspectiva ecocêntrica. Revista Educação E Cultura Contemporânea, 18(54), 323–343. Recuperado de https://mestradoedoutoradoestacio.periodicoscientificos.com.br/index.php/reeduc/article/view/8505

Edição

Seção

Criatividade, lúdico e interculturalidade